VIVA MARIA ARAGÃO, por Maria Ethel

Maria José Camargo Aragão, ou simplesmente Maria Aragão, símbolo de luta e lição de vida, representa a REVOLUCIONÁRIA, a GUERREIRA, o ÍCONE DO HUMANISMO, por sua atuação significativa no combate à miséria, à fome, à injustiça social, à discriminação, ao analfabetismo, à desvalorização da mulher... constituindo-se assim em referência de dignidade, resistência, coerência e ética.

Tive o privilégio de conviver de perto com Maria Aragão nos idos dos anos 1980, muito embora já a conhecesse de nome desde o período da ditadura militar, quando então eu cursava a faculdade de Serviço Social e me iniciava na militância política, também em busca de uma sociedade justa e igualitária...

Sou, portanto, profundamente grata à Maria Aragão, que, apesar de todos os reveses que passou na vida, como fome, preconceito, prisão, tortura...  ensinou-me a amar a vida apaixonadamente e continuar a luta por uma sociedade libertária e fraterna.

Uma das formas de torná-la imortal – MARIA SEMPRE VIVA – é que, em 2008, decidi montar o espetáculo solo A “besta-fera” – biografia cênica de Maria Aragão cuja apresentação perdura até hoje, com circulação em 15 cidades do interior maranhense, através do projeto “Na Rota de Maria” (2009), e também nas cidades do Rio de Janeiro (2012), Florianópolis (2010) e Brasília (2011). Recentemente, a peça foi selecionada para participar do II Festival Latino-Americano de Monólogos, em Cuba, a realizar-se em fevereiro de 2014.

 

VIVA MARIA ARAGÃO!!!

 

Maria Ethel, atriz