Reinaldo Carcanholo

É com muita tristeza que a equipe da Editora Expressão Popular recebeu a notícia do falecimento do professor Reinaldo Carcanholo. Além de um dos mais destacados economistas marxistas brasileiros, ele – seguindo à raiz da tradição marxiana – esteve durante toda sua trajetória de vida vinculado às lutas sociais no Brasil e na América Latina.

 

Estudante de economia da Universidade de São Paulo durante a ditadura civil-militar brasileira, Carcanholo se exilou no Chile, ainda sob o governo da unidade popular capitaneado por Salvador Allende, onde termina a sua graduação e trava contato com o grupo da Teoria da dependência. Alguns anos depois – novamente exilado após o golpe contra o governo de Allende, Carcanholo vai para o México preparar sua tese de doutoramento sob a orientação de Ruy Mauro Marini, na Universidade Nacional Autonóma do México. Entre as décadas de 1970 e 1980 esteve no Chile, México, Costa Rica, Nicarágua, El Salvador sempre em estreita ligação com os movimentos sociais e com os processos de luta pela libertação dos povos contra as ditaduras latino-americanas. Como ele mesmo afirmava: "não fui um militante, sempre estive, da universidade, ligado à formação da militância". Para nós, sua postura crítica e combativa, sempre a postos para contribuir na construção do conhecimento com vistas a desvelar a dinâmica da sociedade capitalista entre os trabalhadores e em uma linguagem clara foi sua forma mais sincera de militância.

Na volta ao Brasil Carcanholo se torna professor universitário e uma das principais figuras da Sociedade de Economia Política (SEP) e da Sociedade de Economia Política latino-americana (SEPLA), da qual era atualmente vice-presidente. A sua vinculação aos movimentos sociais se acentua cada vez mais, contribuindo incansavelmente com cursos de formação no tema da Economia Política para movimentos sociais, entre eles, marcadamente o Movimento dos Trabalhadores Rurais Sem Terra (MST), contribuição que já dura mais de duas décadas. Sem nunca perder a perspectiva latino-americana, Carcanholo segue divulgando suas criativas análises em torno das categorias econômicas marxistas em diversos países. Devemos mencionar, neste sentido, a recente publicação de um dos seus mais brilhantes ensaios - "A dialética da mercadoria" - em Cuba, com intuitos de formação política dos trabalhadores.

Distante das vaidades acadêmicas que infestam os intelectuais atualmente, a postura de Carcanholo era sempre de disposição à luta e humildade em aprender com a dinâmica da realidade. Generosa e militantemente nos ofereceu dois de seus livros para publicarmos - Capital essência e aparência, vol. 1 (2010) e vol. 2 (2013) - bem como contribuiu com prefácios e apresentações de livros. Reinaldo Carcanholo, para além de um intelectual marxista criativo, que buscava seguir Marx não de forma dogmática, mas utilizando a sua teoria não apenas para interpretar a realidade, mas também para transformá-la. É irreparável perda o seu falecimento, mas estamos certos que o seu legado seguirá vivo nos militantes empenhados em construir a passagem do reino da necessidade para o reino da liberdade.

Carcanholo, retomando Brecht, é daqueles que lutam sempre, os imprescindíveis.

Equipe da Editora Expressão Popular

31.05.2013